Receba notícias

    • Cadastre seu E-Mail:

      Ver últimos Feeds

 

Frase do dia

Quando você se ofender com as faltas de alguém, vire-se e estude os seus próprios defeitos. Cuidando deles, você esquecerá a sua raiva e aprenderá a viver sensatamente.

(Epiteto)

 

Facebook

 

Contato Rápido





 

 

Estatísticas

08/11/2018

  • Milagre, Piloto escapou da morte.

    Cotidiano - Piloto de Primeiro de Maio PR que estava desparecido foi encontrado

     

    Maicon Esteves, 27 anos, foi encontrado.

    O Piloto  Maicon Semencio Esteves, de 27 anos, foi encontrado nesta quarta-feira (07/11), em meio à selva em Peixoto de Azevedo, Mato Grosso.

    O Piloto que estava bastante debilitado foi encontrado próximo a um rio e levado para Peixoto de Azevedo.

    Maicon estava desaparecido desde a tarde do domingo (04/11), quando o avião agrícola que ele pilotava, modelo Neiva EMB-201 , caiu em região de mata em Peixoto de Azevedo.

    Os destroços do avião foram encontrados por trabalhadores de uma fazenda próxima ao local do acidente, no entanto, não havia sinal do piloto.

    Uma Força-Tarefa composta por voluntários, Policiais, parentes da vítima e moradores foi realizada ontem, terça-feira (06/11) para tentar encontrar o Piloto.

    Fonte: Sertanópolis news.

08/11/2018

  • Frigorífico interditado em Cornélio Procópio.

    Denúncia - Justiça interdita frigorífico por falta de licenças ambientais e más condições de funcionamento

     

    Frigorífico interditado em Cornélio Procópio.

    O Juízo da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Cornélio Procópio, no Norte-Pioneiro do estado, determinou a suspensão das atividades de um frigorífico do município, em função de uma série de irregularidades. A decisão atende ação civil pública ajuizada pela 3 ª Promotoria de Justiça da Comarca.

    De acordo com as investigações do Ministério Público do Paraná, a empresa vem descumprindo as regras sanitárias e ambientais necessárias ao seu regular funcionamento. A ação foi proposta pela Promotoria após o frigorífico desrespeitar termo de ajuste de conduta firmado com órgãos do município. Além disso, o MPPR constatou que o frigorífico não providenciou a atualização das licenças ambiental e sanitária.

    A Justiça determinou a interdição do local até que sejam cumpridas todas as exigências relacionadas na ação civil, incluindo apresentação de relatório favorável do Serviço de Inspeção Municipal, do IAP e da Força Verde. A multa diária para descumprimento é de R$ 1 mil.

    **Do MPPR**

08/11/2018

  • Marido confessou o crime

    Plantão de Polícia - Polícia encontra corpo de mulher morta há mais de dois anos e marido confessa crime Corpo estava enterrado na zona rural de Campo Largo

    Fonte: Banda B

    Corpo encontrado depois de 2 anos, marido confessou o crime

     

    A polícia encontrou, nesta quarta-feira (7), o corpo de uma mulher que teria morrido há mais de dois anos em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba. O corpo estava enterrado na zona rural do município e um homem foi detido pelo crime.

    Segundo as primeiras informações, a polícia tinha indícios de que uma possível ossada humana poderia estar enterrada na região de Bateias. Com autorização da Justiça, uma equipe foi até o local, onde foi recebida por um homem, que imediatamente apontou o local em que este corpo estaria enterrado.

    Em depoimento, o detido confessou que o corpo enterrado seria de sua esposa, Cristiane Ferreira, que morreu em 16 de junho de 2016. A morte teria acontecido após uma discussão entre o casal. Ele afirmou que usou uma corda para enforcar a vítima.

    Já a ocultação do cadáver, segundo o depoimento inicial, teria sido realizada pelo irmão e por um amigo do suspeito, que passam agora a ser procurados pela Delegacia de Campo Largo.

    A Polícia Civil segue investigando o caso.

08/11/2018

  • Promotor não acredita em tentativa de estupro.

    Plantão de Polícia - Promotor não acredita que Daniel tentou estuprar Cristiana e diz que crime não foi passional Para ele, o principal indício que corrobora o fato é o nível de teor alcoólico encontrado no sangue do jogador.

    Fonte: Banda B

    Prtomotor afirma que não acredita, que o jogador Daniel tentou estuprar Cristina.

    O promotor do Ministério Público do Paraná (MPPR), Milton José, visitou mais uma vez a Delegacia de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, nesta quarta-feira (7). Ele acompanha as investigações da morte do jogador de futebol Daniel Corrêa Freitas, de 24 anos, que aconteceu na manhã do último dia 27 de outubro na Colônia Mergulhão.

    Em entrevista coletiva, José concordou com a polícia e afirmou que não acredita que a vítima tentou violentar Cristiana Brittes, a mulher do empresário que confessou o assassinato, Edison Brittes. Para ele, o principal indício disso é o nível de teor alcoólico encontrado no sangue do jogador, de 13,4 dg/L, valor considerado muito alto.

    “Absolutamente não, isso é impossível. Eu não acredito no estupro pelo teor alcoólico que o rapaz se encontrava, pela personalidade dele e pela própria circunstância no local. Eu acho humanamente impossível… Principalmente pela questão da bebida. Eu não consigo lembrar de nenhum processo em que trabalhei, mesmo em casos de acidente, em que alguém tinha tanto álcool no sangue”, disse o promotor.

    Ainda para José, outro fato se revelou importante ao longo do trabalho da polícia: ele não acredita em um crime passional, “movido pela paixão”, já que foi cometido por mais de uma pessoa. “Eu não tenho relatos de instigação por parte do empresário, mas posso dizer que foram atos praticados em consenso, eles sabiam exatamente o que estavam fazendo. Se eu entendo que todo mundo que agrediu o Daniel agiu de forma passional, então tenho que considerar que todos tinham ciúme da Cristiana, o que não é verdade”, completou.

    A partir desta constatação, o promotor afirmou que é preciso apurar o exato motivo do crime, que não foi apenas “um ódio puro e simples ou uma situação que saiu do controle”. “Poucos casos como esse me saltaram aos olhos pela crueldade, eu acho que nada justifica o sadismo e a violência cometidos nesse crime”.

    A casa

    Daniel foi morto depois de participar da festa de aniversário de Allana Brittes, filha de Edison e Cristiana, na casa dela, na manhã do dia 27. Nesta terça (6), o promotor visitou a residência, localizada no Jardim Cristal, em São José dos Pinhais. Para ele, o modo como os ambientes são distribuídos mostra que, se Cristiana tivesse gritado, todo mundo ouviria. Quatro testemunhas, no entanto, negam terem escutado pedidos de socorro por parte dela.

    “Qualquer grito seria perfeitamente possível de ouvir, porque tudo acontecia muito próximo. Todo mundo que estava ali tinha plena convicção do que acontecia. O local onde eles estavam na festa era bem perto do quarto, tanto é que a porta do quarto dá direto na sala. Era impossível ocorrer algo que fuja da normalidade sem que as pessoas tivessem conhecimento”, afirmou.

    O trajeto

    O trajeto entre a residência e o local onde Daniel teria sido morto e desovado também impressionou o promotor. “Nós levamos mais de 20 minutos para fazer esse caminho de carro, já sabendo exatamente qual era o percurso. Isso que os suspeitos foram por uma rota maior, partindo do princípio de que estavam procurando por um lugar para cometer o crime. A não ser que o Edison conhecesse muito bem a região”.

    De acordo com o promotor, a escolha do local foi bem pensada, já que era muito ermo e não havia nenhuma possibilidade de socorro. “Durante o trajeto, que é bem longo, eles tiveram todo o tempo do mundo para pensar no que fariam. Pelos indícios e depoimentos, acreditamos que o rapaz foi colocado ainda vivo no veículo, já que há muito sangue esguichado na plantação de pinos”, concluiu.

    Além de Edison, Cristiana e Allana, que já estão detidos, a Justiça decretou hoje a prisão de mais três envolvidos na morte do jogador. Até o momento, o primo de Cristiana, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, de 19 anos, foi o único detido. Os outros dois jovens que tiveram prisão preventiva decretada são David Willian Villero Silva, de 18 anos, e Igor King, de 20.

08/11/2018

  • Comerciante assassino mentiu no depoimento

    Plantão Os Cobras da Notícia - ‘Juninho Riqueza’ diz que não arrombou porta do quarto e mentiu para proteger filho de político local Depoimento de responsável confesso pelo crime durou mais de seis horas

    Fonte: Banda B

    Comerciante assassino mentiu no depoimento.

    Responsável confesso pela morte do jogador Daniel Correa Freitas, Edison Brittes Junior (conhecido por amigos como ‘Juninho Riqueza’), de 38 anos, foi interrogado pela Delegacia de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, nesta quarta-feira (7). Por mais de seis horas ele falou sobre sua versão para o crime e reafirmou que ficou transtornado ao flagrar um suposto abuso sexual de Daniel contra sua esposa, Cristiana Brittes.

    Entre os pontos do depoimento, Juninho foi questionado sobre as contradições entre a versão apresentada por ele à imprensa com depoimentos dos demais acusados. De acordo com o advogado Claudio Dalledone, o interrogatório foi longo e serviu justamente para esclarecer todas as dúvidas. “Ficou muito claro que ele ouviu o pedido de socorro porque foi quem chegou mais perto do quarto. O Edison ainda deixou evidente que entrou pela janela e omitiu algumas informações para salvaguardar os demais envolvidos, incluindo um que é filho de um político local”, disse.

    Em algumas perguntas, Juninho optou pelo silêncio, segundo informações da defesa. Entre elas, estão questões relacionadas diretamente à morte de Daniel e ao corte do pênis. O acusado deve prestar novo depoimento após a realização das perícias técnicas.

    Segundo Dalledone, Juninho disse que o objetivo de proteger os demais envolvidos foi o fato de todos serem muito jovens, com idades em torno dos 20 anos. O filho deste político local, que teve o nome revelado apenas para a polícia, seria ainda o responsável por arrombar a porta do quarto e quebrar o celular de Daniel. “O Edison assume a autoria e sempre tentou proteger esses jovens, que nada tinham a ver com a morte. A intenção homicida é dele, quem matou foi ele e com esse propósito reuniu os jovens e omitiu alguns pontos. Ele tentou salvaguardar esse filho de político local, mas não teve como, o melhor caminho é o da sinceridade e esse jovem será agora trazido para as investigações”, afirmou o advogado.

    Juninho foi o último integrante da família Brittes a ser ouvido pela Polícia Civil. Cristiana e Allana haviam sido ouvidas na segunda-feira (5). A prisão dos três é temporária.

    Decreto de prisão

    Nesta quarta-feira, a Justiça decretou a prisão de mais três envolvidos na morte. O primo de Cristiana Brittes, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, de 19 anos, foi preso em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Os outros dois jovens que tiveram prisão preventiva decretada são: David Willian Villero Silva, de 18 anos, e Igor King, de 20. Os três confessaram que estavam no carro que levou o corpo de Daniel até a Colônia Mergulhão.

[x] Fechar