Receba notícias

    • Cadastre seu E-Mail:

      Ver últimos Feeds

 

Frase do dia

Para viver intensamente é necessário conviver com os riscos.

(Roberto Shinyashiki)


Publicidades

 

Contato Rápido





 

 

Estatísticas

Postado dia 11/09/2018 às 21:26:23

  • Fuga em massa.

    Fuga em massa. Sequestrador de irmão de Zezé di Camargo e Luciano foge da cadeia



Redação Blog do Gildo Alves

 

 

Wellington Camargo aparece na janela de hospital após ser encontrado, em Goiânia, Goiás — Foto: Weimer Carvalho/ O Popular

Wellington Camargo aparece na janela de hospital após ser encontrado, em Goiânia, Goiás — Foto: Weimer Carvalho/ O Popular

 

Ozélio da Silveira, mais conhecido pelo apelido “Sumô” é um dos 29

fugitivos da Penitenciária Estadual de Piraquara, no Paraná.

O criminoso ganhou atenção nacional em 1998, quando sequestrou

Wellington Camargo, irmão de Zezé di Camargo e Luciano.

A evasão se deu na madrugada desta terça-feira (11), por volta de

3h30 da manhã. Uma turba de bandidos, fortemente armada

explodiu um dos muros da prisão e iniciou um tiroteio com a polícia

e os agentes penitenciários.

A operação elaborada para a fuga dos presos foi atribuída à

facções que queimaram veículos e bloquearam o acesso à prisão.

Ozélio, um dos líderes do PCC em Roraima, foi condenado a mais

de 200 anos de prisão por vários crimes, incluindo o sequestro de

Wellington. Ele já havia conseguido escapar da cadeia duas vezes:

a primeira em 2002, em Maceió e a segunda em 2006, na cidade de Foz do Iguaçu.

O sequestro de Wellington Camargo aconteceu em dezembro 98.

Um grupo de criminosos invadiram a casa do irmão de Zezé di

Camargo e o transportaram para um cativeiro.

Wellington, que é cadeirante, ficou preso em um casebre por 94

dias. Durante esse período, ele teve parte da orelha arrancada e

enviada para uma emissora de TV de Goiânia.

A família Camargo pagou um resgate de 300 mil dólares para a

liberação de Wellington, que foi abandonado em uma estrada

próximo a Goiânia. Os envolvidos no crime foram eventualmente

presos e condenados.



Compartilhe esta matéria!