Receba notícias

    • Cadastre seu E-Mail:

      Ver últimos Feeds

 

Frase do dia

O amor é a causa do movimento do Universo.

(Platão)


Publicidades

 

Contato Rápido





 

 

Estatísticas

Postado dia 27/07/2020 às 23:57:03

  • Rachadinha

    Plantão Os Cobras da Notícia. Corrupção. Gaeco prende Vereadora no Paraná, acusada do Crime de Rachadinha no Poder Legislativo de Curitiba.



Redação Blog do Gildo Alves

 

Plantão Os Cobras da Notícia. Gaeco prende Vereadora no Paraná, acusado do Crime de " rachadinha "

Vereadora Fabiane Rosa é presa em operação que investiga suposto esquema de 'rachadinha' em Curitiba

Gaeco também cumpriu mandados de busca e apreensão no gabinete dela, na manhã desta segunda-feira (27), na Câmara Municipal.

A vereadora de Curitiba Fabiane Rosa (PSD) foi presa, na manhã desta segunda-feira (27), em uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). O advogado dela, Jeffrey Chiquini, afirmou que o caso é sobre um suposto esquema de "rachadinha".

Os agentes do Gaeco também cumpriram mandados de busca e apreensão no gabinete da vereadora.

O gabinete e a defesa da parlamentar informaram, por meio de nota, que a investigação se trata de uma denúncia feita por ex-funcionários afastados das funções por decisão unilateral da vereadora.

A prática de rachadinha consiste no repasse – de um servidor público ou prestador de serviços da administração – de parte da remuneração recebida para políticos e assessores.

Conforme o advogado Chiquini, a vereadora deve ser ouvida na semana que vem. Ela será encaminhada para o presídio feminino de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, e vai ficar em uma cela especial porque tem Ensino Superior.

Ainda conforme o advogado, no fim da manhã Fabiane precisou ser atendida por um ambulância porque teve um pico de pressão, mas logo foi liberada.

 

O outro lado

 

Em nota, o advogado Jeffrey Chiquini disse que Fabiane Rosa sempre exerceu seu mandato de maneira íntegra e correta e que seus valores refletem o compromisso com a causa que a elegeu.

"A denúncia em questão foi feita por ex-funcionários afastados de suas funções por uma decisão unilateral da vereadora. Não houve qualquer prática ilegal durante o mandato. Tem-se um pedido de prisão precipitado, amparado em fatos pretéritos e sem sustento probatório", diz trecho da nota.

Ele disse ainda que a "verdade será restabelecida".

Fonte: G1



Compartilhe esta matéria!